Ligue!
19 3802.2020

Corte gastos eliminando a taxa administrativa dos cartões alimentação e refeição

 

Empresas chegam a pagar 4% sobre benefício concedido; cartão da ACE-Holambra, o ACECard, tem tarifa zero

Quanto custa manter os cartões de vale-alimentação e vale-refeição dos seus funcionários? Algumas administradoras cobram até 4% do benefício concedido, um gasto que pesa nas contas da empresa e poderia ser eliminado em tempos de crise. Economizar desta forma é uma saída para quem precisa poupar ou realocar recursos. É uma possibilidade também para as empresas associadas, pois a ACE-Holambra tem produto sem taxa administrativa e compatível com as necessidades de muitas delas, o ACECard.

Custo fixo de R$ 2,50 mensais

Nas versões vale-alimentação, refeição e combustível, o ACECard não cobra tarifas das empresas concedentes, tendo como único custo um valor fixo e simbólico: R$ 2,50 mensais. “Algumas empresas pagam até 4% de taxa por cada recarga feita no cartão de alimentação ou refeição. Quem concede R$ 300,00 de vale-alimentação, por exemplo, paga os R$ 300,00 do benefício, mais R$ 12,00 de taxa, em média”, observa a gerente da Associação Comercial, Suzi Celegatti. “O ACECard tem custo único de R$ 2,50 por CNPJ, nada mais. Tem essa vantagem por não estar atrelado a instituições financeiras e ter sido criado sob medida para empresas como as nossas”.

“Prático e barato”, na opinião de quem usa

Dentre as empresas que oferecem o ACECard à equipe estão o Residencial Palm Park e a Confeitaria Zoet em Zout, dois dos clientes mais antigos do produto, implantado em 2013. “É muito prático usar o cartão alimentação. É possível fazer tudo pela internet, vem com nota fiscal, tudo certinho”, fala a sócia-proprietária da Zoet em Zout, Kátia Formagio. “Para as funcionárias é uma segurança e, comparado com outros cartões alimentação, é muito mais barato”.

O gestor administrativo Vitor Claret Domingues, do Residencial Palm Park, também elogia esse aspecto. “Pra gente está funcionando muito bem e penso que seria útil para outras empresas também”, diz.

Aliados na negociação salarial

Segundo especialistas, a concessão de benefícios aos empregados é uma boa decisão, pois podem ser usados na negociação salarial, sem geração de encargos. Geralmente do interesse dos funcionários, funcionam como incentivo ao desempenho do empregado, auxiliando na produtividade, um fator a manter em época de crise no mercado. “Os vales-alimentação e refeição também são exigidos em muitas convenções coletivas de trabalho. O ACE Card é homologado no PAT, do Ministério do Trabalho, com possibilidade de isenção de até 4% do IR”.

Liberdade para o funcionário comprar o que quiser

O ACECard vale-alimentação também substitui com vantagem a cesta básica oferecida pelas empresas como benefício a seu pessoal. Desobriga a empresa de cotar, comprar e distribuir as cestas básicas, enquanto para o empregado representa liberdade de escolha do que comprar. O cartão permite, por exemplo, que o funcionário compre itens de sua preferência, inclusive produtos frescos que não são contemplados nas cestas básicas, como carnes, frutas, pães, legumes e verduras.

A ACE-Holambra tem todas as informações sobre o ACECard, com disponibilidade de visita às empresas que desejarem conhecer mais. Contato: 3802-2020.






<< Voltar