Ligue!
19 3802.2020

Preço será decisivo na compra do presente neste Dia das Mães, constata pesquisa da Boa Vista SCPC

Se em anos anteriores o desejo ou a necessidade/utilidade do presente eram os principais atributos observados pelos consumidores no momento de decidir pela escolha do presente para o Dia das Mães, em 2017 o fator preço desbancou as opções anteriores.

Se em anos anteriores o desejo ou a necessidade/utilidade do presente eram os principais atributos observados pelos consumidores no momento de decidir pela escolha do presente para o Dia das Mães, em 2017 o fator preço desbancou as opções anteriores. A constatação é da Boa Vista SCPC, em sua pesquisa sobre o comportamento do consumidor realizada de 5 a 27 de abril, com 600 entrevistados, de todo o Brasil.

O atributo “preço, promoção ou desconto” registrou um crescimento de 17p.p. (pontos percentuais), passando de 26% para 43%, em comparação a 2016, seguido da “necessidade/utilidade de quem irá ganhar o presente” e da “qualidade”, com 20% das menções, respectivamente. Em quarto lugar os entrevistados disseram que vão levar em consideração “desejo da pessoa que irá receber o presente” (12%). Em 2016 o “preço, promoção ou desconto” ocupou a terceira posição, atrás de “desejo” e “necessidade/utilidade”. A imagem abaixo resume os dados.

A pesquisa também observou um crescimento de 6p.p. na intenção dos entrevistados em de fato comprar presentes para este Dia das Mães, na comparação com 2016. Entretanto, quase metade disse que irá gastar a mesma quantia do presente do ano passado. 

Coincidentemente, o valor médio dos presentes de um ano para outro se mantém em R$ 197. No entanto, entre os que disseram que irão gastar na faixa de preço de até R$ 200, houve um aumento de 48% para 55% entre os que irão comprar itens com valores de até R$ 100.

A pesquisa da Boa Vista também constatou que 32% pretendem comprar dois ou mais presentes; 92% irão presentear as mães, seguidos por 23% a sogra e 15% as esposas; e que 62% farão a compra do presente na semana da comemoração.

A pesquisa apontou ainda uma mudança no local da compra. 90% irão comprar em lojas físicas, e apenas 10% usarão a internet. E dos que irão comprar em lojas físicas, 41% buscarão as lojas de rua e bairro. A opção por lojas de shoppings apresentou uma queda de 13p.p (de 43% para 36%).

Já quando perguntados sobre os tipos de presentes que irão comprar, a pesquisa observou um aumento significativo de 11p.p na intenção de compra de itens de uso pessoal para presentear as mães neste ano. Eletrodomésticos, móveis e itens para casa registraram queda de 6p.p. E subiu de 23% para 34% a compra de roupas e calçados. O que vai de encontro ao desejo das mães. 

A afirmativa acima se dá, pelo fato de a Boa Vista ter perguntado exclusivamente para as mães qual a expectativa de ganhar presentes nesta data. 74% das mulheres com filhos possuem alguma expectativa em ganhar presentes nesta data. E mais, se pudessem escolher, os preferidos pela maioria seriam roupas, calçados e acessórios (26%), viagens (24%) e celular e smartphone (22%).

Mas para comprar o presente é preciso ter renda, e neste quesito, 82% dos consumidores entrevistados disseram que farão uso de parte do salário para compra do presente do Dia das Mães. Outros 6% usarão recursos da poupança. E 5% uso de empréstimos. 3% usarão os recursos de contas inativas do FGTS para esta finalidade. 

Realizada a compra do presente das mães, 77% dos consumidores irão comprar e pagar à vista. Destes, 39% utilizarão o cartão de débito, registrando crescimento de 8p.p em relação ao ano de 2016.

Entretanto, o dinheiro ainda será o tipo de meio de pagamento mais utilizado, com 50% das menções.

23% dos consumidores irão comprar o presente do Dia das Mães e pagar de forma parcelada. 87% utilizarão o cartão de crédito, um crescimento de 9p.p em comparação ao ano passado. O que comprova uma diminuição no uso de outros meios como boleto e cheque pré-datado.

 

 

 

 






<< Voltar