Ligue!
19 3802.2020

Época de impostos e de cobranças falsas:

IPVA em São Paulo não pode ser pago com código de barras

 

 

Para evitar fraudes no pagamento do IPVA 2016, o contribuinte deve ficar atento aos meios de quitar as parcelas e de obter informações sobre o imposto. A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo está orientando para o uso apenas dos canais oficiais. São eles: www.ipva.fazenda.sp.gov.br e www.secretaria.fazenda.sp.gov.br, além da rede bancária credenciada.

Também não se pode fazer o pagamento com o código de barras de qualquer boleto de IPVA, com o risco de ser falso, alerta a Associação Comercial e Empresarial (ACE-Holambra). Isso, porque a Secretaria Estadual apenas emite avisos de vencimento do IPVA e não guias de cobrança.

Nos caixas eletrônicos ou na internet, deve-se apenas informar o número do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam). Automaticamente, a rede mostrará o valor devido de IPVA, as datas de vencimento e a forma de pagamento.

Avisos de Vencimento 

Cerca de 18 milhões de paulistas estão recebendo da Secretaria da Fazenda o aviso de vencimento do IPVA 2016. Mas, segundo a Secretaria estadual, trata-se apenas disso: de um aviso de vencimento do imposto, para que o contribuinte possa se programar para o pagamento. O aviso, portanto, é apenas um lembrete – não é boleto, nem guia de pagamento.

 

Um entre muitos golpes

O cuidado com a quitação do IPVA é apenas um que os contribuintes pessoa física e jurídica devem ter nesse início de ano. Em janeiro e fevereiro costumam pipocar tentativas de fraudes e golpes, conforme tem alertado periodicamente a Associação Comercial de Holambra.

OUTRAS FRAUDES COMUNS NESSA ÉPOCA, MAS QUE PODEM ACONTECER EM QUALQUER PERÍODO DO ANO:

1) OS CLÁSSICOS BOLETOS FALSOS

• boletos falsos: todo ano é praxe – entidades falsas vão enviar boletos com dívidas e contribuições sindicais que você não deve. Antes de pagar, certifique-se de que você precisa pagar por aquela conta; antes de quitar, procure a Associação Comercial ou seu contador.

2) PEDIDOS DE DEVOLUÇÃO DE DINHEIRO: GOLPE E JÁ ACONTECEU EM HOLAMBRA

O criminoso se passa por um suposto cliente, simula compras e um falso pagamento. Depois, faz contato dizendo que depositou valor errado, maior do que o necessário e pede a restituição. O depósito, entretanto, nunca aconteceu de verdade. Se devolver o dinheiro, a empresa/pessoa física caiu no golpe.

3) PROPAGANDAS E COMPRA DE SERVIÇOS/PRODUTOS

Cuidado com desconhecidos (PF ou PJ) vendendo anúncios em listas telefônicas, revistas ou outras publicações. Podem roubar seus dados cadastrais e levar seu dinheiro

4) SUA EMPRESA FOI ELEITA A MELHOR DO ANO? CUIDADO! PODE SER UM GOLPE ANTIGO

Muita cautela com os vendedores de certificados do tipo “os melhores do ano”. Via de regra, trata-se de um serviço enganoso, que concede falsos títulos a quem paga, independentemente da opinião do consumidor sobre a empresa; tenha a certeza da seriedade antes de contratar;

5) FALSAS INSTITUIÇÕES DE CARIDADE E EMPRESAS

Quer ser solidário? Conheça a instituição antes de concordar com doações e fornecimento de dados. Golpe dos mais típicos, o bandido se utiliza da boa vontade e da sensibilização das pessoas para ganhar dinheiro fácil;

Importante: nunca passe informações cadastrais pessoais ou da empresa (CNPJ/CPF/Inscrição estadual) por telefone ou e-mail, exceto em casos em que há total garantia da idoneidade e da identidade do recebedor. Não se iluda com falsas informações, pois bandidos costumam usar nomes de entidades/empresas conhecidas para enganar suas vítimas.

6) FALSOS SITES E CENTRAIS DE ATENDIMENTO: FAÇA SUA PRÓPRIA PESQUISA, NÃO UTILIZE SITES E TELEFONES FORNECIDOS POR QUEM VOCÊ NÃO CONHECE

Na tentativa de ter segurança e evitar golpes, algumas pessoas consultam sites para obter informações sobre a empresa ou ligam para números telefônicos da empresa/instituição.

Os bandidos sabem disso e, para conquistar a confiança da vítima, informam dados falsos. Eles ainda vão mais longe: criam endereços físicos, de sites e números de central de atendimento ao cliente. Pode ser tudo falso, incluindo o site, colocado no ar para ludibriar as vítimas. Não utilize os endereços/links/telefones fornecidos por quem você não conhece – quem te atende do outro lado da linha, pode fazer parte da quadrilha. Faça sua própria pesquisa para esclarecer se a empresa/instituição existe mesmo.

7) INTERNET – UM JEITO FÁCIL DO BANDIDO CHEGAR ATÉ VOCÊ

• não abra e-mails de remetentes que você não conhece, mesmo que esses venham como respostas (Re:). Se vierem em nome de quem você conhece, mas com conteúdo estranho, desconfie. É muito comum ser vírus.

Mais cuidado ainda com aqueles que avisam sobre títulos vencidos, inclusão no SCPC/Serasa e comunicados judiciais. Instituições como poder judiciário e empresas de proteção ao crédito não enviam e-mail;

• tampouco clique em links recebidos por e-mail ou sugeridos em sites, anúncios ou em páginas das redes sociais; em geral são vírus que copiam seus dados e senhas ou destroem seu computador;

NA DÚVIDA, DESISTA DA OPERAÇÃO

• atenção ao baixar arquivos da internet com a extensão EXE. Na dúvida, peça ajuda ou desista da operação.

A lista das fraudes é grande. Ao analisar criteriosamente a abordagem de alguém desconhecido e antes de fazer pagamentos, os riscos diminuem muito.






<< Voltar