Ligue!
19 3802.2020

Dia dos Namorados - consumidores levarão em conta o desejo da pessoa amada na escolha do presente

Com mais de 1200 respondentes, a pesquisa constatou ainda que o valor médio dos presentes, para 66% dos entrevistados, não deverá passar dos R$ 200

 

Mais importante do que a utilidade ou a necessidade, o presente do Dia dos Namorados, em 2017, precisará atender ao desejo da pessoa amada. Pelo menos esta é a intenção de 42% dos consumidores entrevistados pela Boa Vista SCC em sua pesquisa sobre Hábitos de Consumido para esta data comemorativa. Outros 35%, no entanto, quando questionados sobre o que consideram mais relevante e de fato influenciará na decisão da compra do presente, disseram que observarão a necessidade ou utilidade do presente. Preço, promoção e desconto, assim como marca e qualidade serão levados em conta por 14% e 9% dos entrevistados, respectivamente.

Na prática, quando questionados sobre qual presente pretendem comprar, 34% disseram que irão optar por roupas e acessórios. O que representa um crescimento de 7p.p. (pontos percentuais) em comparação ao ano anterior. Jantar romântico, ida à shows e cinema também apresentaram crescimento de 7p.p. e ocupam a segunda posição, com 20% das menções. Perfumaria aparece em terceiro lugar com 14%.

 

De um modo geral, neste Dia dos Namorados, 62% dos entrevistados irão comprar presentes. Em 2016, 56% estavam dispostos a comprar nesta data. Destes, 40% irão gastar mais que o ano passado. 38% o mesmo valor (crescimento de 10p.p.) e 22% menos (uma queda de 11p.p.). 

 

O valor médio do presente apresentou uma queda de 4p.p. na comparação com 2016. Cenário um pouco mais positivo se comparado à queda de 17p.p. observado no ano passado contra 2015. Para esta data, 66% dos consumidores pretendem gastar até R$ 200 (35% até R$ 100 e 31% entre R$ 101 a R$ 200).






<< Voltar